tisbi@consultoria.com.br

Notícias

Esforço para superar pobreza tem bons resultados no país - 2014-09-25

"Sebrae e Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome fazem balanço positivo da parceria firmada há três anos e discutem desafios da inclusão produtiva"

 

Brasília – As estratégias adotadas para superar a pobreza extrema e os resultados já obtidos pela parceria entre o Sebrae e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) foram apresentados nessa quarta-feira (24), em Brasília, durante o encontro Empreendedorismo e a Superação da Pobreza.

“Acredito que o empreendedorismo é uma das saídas fundamentais para o Brasil continuar crescendo e os pequenos negócios representam 99% das empresas, geram um terço do Produto Interno Bruto e empregam 50% dos empregos com carteira assinada. Portanto esse segmento deve ter sempre um olhar e um tratamento especial”, afirmou o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, lembrando que o trabalho da instituição foi fundamental para a formalização de mais de 4,4 milhões de brasileiros como microempreendedores individuais e que é preciso avançar, oferecendo assistência técnica adequada para garantir a sustentabilidade e a competitividade das micro e pequenas empresas.

Para a ministra do MDS, Tereza Campello, o país está no caminho certo em relação ao combate à miséria. “A população pobre quer oportunidade. A maior parte dessas pessoas foi excluída por décadas. Entre elas e a superação da pobreza, há uma série de obstáculos, como o preconceito e a falta de informação. Não adianta apenas dar bolsa-família. É preciso enfrentar esse problema de forma multidimensional”, pontuou.

O secretário-executivo da Secretaria de Pequena Empresa, Nelson Hervey Costa, e o representante residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil, Jorge Chediek, também pontuaram os avanços alcançados pelo país. “O país tem dado exemplo de como mudar uma realidade. Em 15 anos, uma população equivalente à da Argentina saiu da pobreza”, disse o representante do órgão internacional.

"A população pobre quer oportunidade. A maior parte dessas pessoas foi excluída por décadas"

A possibilidade de trabalhar em casa como costureira e de ficar mais tempo com o filho levou a baiana Jurema Ávila a trocar de profissão. Em seu depoimento no evento ela contou que veio de uma família humilde e que se formalizou como MEI há 3 anos, poucos meses depois de começar a receber o Bolsa-Família. “Mesmo se fosse ficar sem o benefício, teria me formalizado. Espero crescer e acredito que o Brasil está melhorando e que não está chegando só o farelo para as pessoas de baixa renda”, disse a empreendedora.

O evento contou ainda com o depoimento do estudante de cinema Marcus Mota, que também é empreendedor individual e desenvolve oficinas experimentais de audiovisual em escolas públicas de Aracaju (SE). “Tenho uma produtora de vídeo há um ano e meio e já fechei alguns trabalhos inclusive com o governo do estado. A formalização abriu meus horizontes”, afirma ele, que procura incentivar o empreendedorismo nos jovens que participam de suas oficinas.

A transformação de comunidades de baixa renda foi o tema tratado no painel com a presença de Preto Zezé, presidente nacional da Central Única das Favelas (CUFA), de Carla Panisset (Sebrae/RJ), coordenadora do Programa de Desenvolvimento do Empreendedorismo em Comunidades Pacificadas, com a mediação do secretário para a Superação da Extrema Pobreza do MDS, Tiago Falcão.

“A favela não aceita mais ser colocada como um ambiente problemático nem violento”, afirmou o presidente da CUFA. Nesse contexto, a representante do Sebrae no Rio de Janeiro pontuou que as essas comunidades são vistas como potenciais polos de empreendedorismo. “Nossa estratégia trata a favela como território de potência, não de carência, porque acreditamos que nesses locais, muitas vezes, a dificuldade vira oportunidade para se criar uma atividade empreendedora”, afirmou Carla, pontuando que o projeto já realizou 38 mil atendimentos e mais de 5 mil formalizações em 10 favelas cariocas.

Fonte: http://www.agenciasebrae.com.br/


Profissionais recorrem a coaches para mudar de carreira - 2015-03-11

Profissionais recorrem a coaches para mudar de carreira   FELIPE GUTIEREZ DE SÃO PAULO Celiane Zonta, 34,

saiba mais >
5 dicas para conquistar o primeiro cliente – e fazer seu negócio decolar de verdade - 2014-12-09

Para manter uma empresa funcionando, não há muito jeito: é preciso ter clientes. Só que, ao

saiba mais >
Faça o teste e descubra como anda o seu Marketing Pessoal - 2014-09-25

Marketing pessoal é o conjunto de práticas, atitudes e conceitos cujo objetivo é estabelecer uma

saiba mais >
Dez lições sobre feedback, KPIs e recompensas - 2014-09-25

Sabemos que a nossa cultura latina dificulta a gestão do desempenho porque muitos dos temas profissionais acabam tendo,

saiba mais >

Oportunidades

...

Copyright 2014 TISBI | Todos os direitos Reservados | Desenvolvido por Cronus Internet